sexta-feira, 27 de julho de 2018











OBJETOS CORTANTES, Gillian Flynn  
(256 pgs. Editora Intrínseca)


            Caros leitores amados, estou aqui hoje, em minha primeira postagem para o blog para indicar à vocês essa leitura MARAVILHOSA, “Objetos Cortantes”, da autora Gillian Flynn, que também escreveu “Garota Exemplar”, que também fez muito sucesso nas telas de cinema, com um filme de tirar o ar. Objetos cortantes deu origem à série “Sharp Objects” que atualmente podemos acompanhar na HBO, um dos motivos que me instigou a ler o livro. Em uma narrativa dinâmica, surpreendente e deveras sombria, nossa protagonista, a repórter Camille Preaker nos arrasta para seu mundo de traumas familiares, abuso, autoflagelação e fuga.
            Camille se afastou da família, mais especificamente da mãe Adora, há oito anos e se encontra em Chicago, onde trabalha em um jornal de qualidade duvidosa, tendo saído há pouco tempo de uma clínica de recuperação. Além do abuso de substância, no caso álcool, Camille se automutila, infligindo cortes em sua própria pele, escrevendo palavras inteiras por todo o corpo, o que lhe obriga a conviver com cicatrizes permanentes. “Eu me corto, sabe? E pico, e fatio e furo. Sou um caso muito especial. Eu tenho determinação. Minha pela grita, vê? Está coberta de palavras – cozinha, cupcake, gato, cachos -, como se um garotinho com uma faca tivesse aprendido a escrever em minha pele”.
            Determinada a nunca mais voltar à pequena, Wind Gap, Missouri, evitando assim enfrentar seus fantasmas, as lembranças da irmã falecida ainda criança, uma mãe que a odeia e as violações que sofreu quando adolescente, as circunstâncias mudam quando seu chefe Frank Curry a envia de volta à sua cidade natal para cobrir o assassinato de uma garotinha Ann Nash, que chocou a pequena cidade e também o desaparecimento de Natalie Keene. Ao chegar na cidade, Camille é recebida friamente pela mãe, e conhece sua meia irmã Amma. A trama então, se desenrola de forma frenética e chocante, segredos obscuros vão sendo revelados e vamos a cada passagem nos surpreendendo com a degradação da natureza humana.
            Camille é uma personagem extremamente interessante do ponto de vista psicológico, não tendo jamais superado a morte da irmã, isso a destruiu. Incapaz de se relacionar, envergonhada com suas cicatrizes que a marcam por todo o corpo, ela procura consolo na bebida. “Eu bebo, para não pensar demais no que fiz com meu corpo, e para não fazer mais. Porém, na maior parte do tempo que passo acordada quero me cortar (...)”.  Adora, mãe de Camille é uma personagem odiosa, cheia de manias doentias, incapaz de amar a filha, que era apenas “administrada”. Amma, meia irmã de Camille é daquelas jovens adolescentes também repulsivas, apesar da beleza hipnotizante, é manipuladora e cruel. O padastro de Camille, Allan é basicamente um peso morto, que faria qualquer coisa que a esposa pedisse.
            A narrativa é extremamente envolvente, cheia de tensão e acontece em um ritmo acelerado, em uma linguagem objetiva, embora cheia de detalhes aos quais devemos prestar atenção, tudo se amarra perfeitamente. Com um desfecho estarrecedor, é uma história visceral, que trata de distúrbios psicológicos, bullying, abuso e crueldade. Definitivamente não é uma história leve, nos faz parar e refletir muito sobre a complexidade e obscuridade da mente humana e questionar nossa própria sanidade, para aqueles que gostam do gênero, no entanto, esse thriller é uma ótima indicação, é assombroso e certamente inesquecível. Gillian Flynn não costuma decepcionar, então se deixe levar por esse mistério. Espero que tenham gostado! Até breve! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não deixe de comentar, sua opinião é muito importante pra nós!
Obrigada, e volte sempre!