{Parceria} Bianca Gulim

by - 14:16

Olá pessoal! Tudo bem?  

Hoje estou aqui para apresentar para vocês mais uma parceira do blog Carpe Diem. 

Em 2016 Bianca Gulim lançou o primeiro livro de uma trilogia chamado, 2323- Sobreviventes do Caos.

O livro você encontrará em E-book para venda nas seguintes lojas: Amazon, Clube dos Autores e Saraiva. Vou deixar os links no fim da publicação  <3 

Vamos conhecer um pouco sobre a Bianca Gulim então? <3 

Bianca Gulim tem 26 anos, nasceu e mora em São Paulo. Formada em Administração, com especialização em Recursos Humanos, hoje se dedica totalmente à escrita e ao empreendedorismo. É cofundadora da Epifania Livros, que busca democratizar o acesso e a produção de literatura e oferecer remuneração justa aos escritores. Sempre foi leitora voraz de ficção e fantasia, com uma forte tendência a sagas distópicas e vampirescas. Começou a escrever seu primeiro livro – 2323: Sobreviventes do Caos – em 2015, quando descobriu sua vocação para escritora.

Vem conhecer seu livro!

Trilogia 2323 - Sobreviventes do Caos
Gênero: Distopia
Editora: Independente
Data de lançamento: 23/12/2016
----------------------

Sinopse:
Em um mundo distópico, no ano 2323, após ser quase dizimada por um vírus mortal e pela guerra, a raça humana tenta se reestruturar. Com poucos recursos disponíveis, a humanidade encontra-se dividida em grupos que vivem de acordo com regras impostas por seus líderes.

Celine cresceu nesse ambiente hostil e se tornou líder dos guerreiros de seu povo após a morte de seus pais. Seu grupo se envolve em diversos conflitos e a jovem precisa tomar as decisões que julga corretas para garantir a sobrevivência de seu povo, enquanto se envolve num forte romance, do qual tenta se manter afastada.
Aos poucos, ela descobre mais sobre as pessoas que a cercam e percebe que, quando se trata de lutar pela própria vida, poucos são previsíveis. Só os mais fortes sobrevivem, e os mais fortes normalmente são os mais crueis. Nesse ambiente, o mais difícil é saber quem realmente está ao seu lado e quem é um traidor.
Será Celine capaz de manter sua benevolência frente à tanta violência que a rodeia? Seu coração terá espaço para a paixão, cercado de tanto ódio?
Prepare-se para muita adrenalina e romance nesse primeiro livro da trilogia 2323. Você vai perder o fôlego!
A autora disponibilizou o primeiro capítulo para vocês♡ 
Trilogia 2323  
Sobreviventes do Caos - cApitulo Zero
 Em 2222, um vírus letal varreu a Terra. A morte acontecia setenta e duas horas após a contração da doença. Não demorou muito para a praga alcançar todos os continentes. Meses após a identificação do vírus, metade da raça humana já havia padecido. Não foi possível conter a proliferação.
Os Estados Unidos conseguiram desenvolver uma medicação que controlava os sintomas da doença, ganhando tempo para a procura da cura. Porém, a matéria-prima do remédio era escassa e o governo americano declarou que o medicamento seria usado apenas pelos americanos, se recusando a ajudar outros países.
O caos reinava e não foram necessárias reuniões de Estados para que o restante do mundo resolvesse invadir os Estados Unidos em busca do medicamento que poderia salvar a raça humana da extinção. Uma guerra pela salvação da espécie se iniciou. Ninguém tinha o que perder: sem a medicação, a morte era certa, apenas questão de tempo.
Rumores de que outros países também possuíam tal medicação não demoraram a se espalhar. Assim, a guerra se expandiu dos Estados Unidos ao restante do mundo. Os poucos sobreviventes à doença procuraram o remédio por todos os cantos da Terra.
A guerra terminou o trabalho da praga. Em 2223, não havia mais o que destruir. Não existiam mais recursos para buscar a cura. Poucos eram os sobreviventes, apenas centenas de pessoas espalhadas pela Terra. A essa altura, não foi difícil conter a praga, pois poucos restaram para proliferá-la.

Os doentes foram assassinados e os saudáveis, poupados. Mas, poupados para quê? Era o fim de tudo. A raça humana teria que recomeçar sua evolução em um mundo devastado.
Ano 2323.
É tarde e ainda chove. Saio para a noite mesmo assim, deixando a chuva me molhar. Dizem que água de chuva purifica. Quem sabe? Não custa tentar. Estou sem blusa e sinto mais frio à medida que avanço na floresta. Mas isso não importa. O frio nem me faz cócegas. Dá apenas para notar, perceber que o sinto.
Passo pelos guerreiros que estão de sentinelas esta noite, mas eles não ousam fazer perguntas. Minha feição não deve estar nada agradável. Ótimo, é como me sinto.
Avanço um pouco mais na floresta e paro. Apenas olho para o nada e respiro fundo, sentindo os cheiros da mata, deixando que me invadam.
Sinto sua presença antes de escutar seus passos sobre as folhas. Darion é um grande guerreiro e seus movimentos são silenciosos, mas posso escutar cada passo que ele dá.
– O que foi?
O safado me conhece tanto que nem perde tempo perguntando se eu estou bem. Só quer saber se foi alguma novidade que me fez abandonar o alojamento. Talvez ele tema que eu parta em uma missão sozinha.
– Nada. Só não consigo dormir – respondo, tentando aliviar a preocupação que eu sabia que mostraria em minha voz.
Nem sei por que perco tempo tentando disfarçar minha dor para Darion. Deve ser a força do hábito.
– Ele vai aparecer. É forte, inteligente e conhece esta floresta mais do que nós dois juntos.
Darion é um cara positivo, sempre pensa no melhor. Eu sempre penso no pior. É uma questão lógica pra mim: se é sempre o pior que acontece, pra que perder tempo esperando um milagre?
– Já faz quatro dias. Algo está errado. Você sabe disso tanto quanto eu. Deveríamos estar fazendo alguma coisa.
Passo as mãos no cabelo e depois no rosto, exasperada.
– Celine – Darion coloca as mãos nos meus ombros e se concentra no meu rosto. Ele espera que eu olhe para ele antes de continuar e eu o faço – seu irmão sabe o que faz. Ele decidiu ir sozinho até a fortaleza. Ele deu ordens para que ninguém o seguisse. Não podemos arriscar perder essa aliança.
Aliança? Eu não diria que não sermos atacados caracterize uma aliança, mas essa é uma discussão desgastada e não tenho tempo para ela.
– Eu não posso simplesmente ficar esperando!
Me livro de suas mãos e passo por ele, olhando para a floresta escura.
– Celine... – suspira, derrotado. Percebeu que bancar o otimista não vai me convencer. Ele vai apelar, como sempre faz – nós dois sabemos que nosso povo precisa de você. Todos estão assustados com a ausência do líder e a possibilidade de um ataque. Se você sair agora, o desespero reinará. Eles confiam em suas habilidades – Darion me puxa pelo braço e me faz olhar para ele novamente – eles confiam em você. Eu confio em você.
Apenas olho para ele. Seu rosto moreno, seus traços fortes. Os cabelos compridos realçam ainda mais a aparência de índio.
Sorrio de leve. Ele percebe que me convenceu e sorri de volta. Me puxa pela nuca, beija minha testa e me abraça. Retribuo.
Neste momento, me sinto calma. Darion sempre sabe como me acalmar, mesmo que por pouco tempo.
Fico triste ao perceber que este instante de calmaria existe apenas porque sei que, se meu irmão não voltar, não estarei sozinha. Não que Darion possa substituí-lo, é claro. Mas o medo de ficar sozinha é maior do que o medo de que meu irmão morra. Imagino que se sentir assim seja errado.
Esses pensamentos me deixam enojada e eu saio delicadamente do abraço do meu melhor amigo.
– Esperarei mais dois dias. Depois disso, você e eu iremos atrás dele, ok?
Sei que estou pedindo muito. Sei que ele sabe que não é seguro que dois dos melhores guerreiros deixem o acampamento em busca do melhor guerreiro que foi em missão de paz e ainda não voltou. Mas foda-se. Só quero ir atrás do meu irmão. Quero saber se ele está bem. Também me preocupo com meu povo, mas meu irmão está acima de qualquer coisa.
Escuto Darion suspirar. Sei que ele discorda de mim. Mas sei também que vai concordar mesmo assim, ele sempre acaba fazendo o que eu quero.
– Ok, Celine. Dois dias. Agora volte para o alojamento, por favor. Vou percorrer o perímetro.
Ele vira de costas e começa a caminhar. Eu o alcanço e o abraço, passando meus braços por baixo dos dele. Encosto meu rosto em suas costas.
– Você é sangue do meu sangue, e eu te amo – digo baixinho.
Ele pousa sua mão em cima da minha, que repousa em seu peito.
– Você é uma cretina. Volte logo para o alojamento.
Sua voz tem um tom divertido e eu dou risada enquanto o solto e retorno ao alojamento.
Já não chove mais quando passo pela entrada. Ainda não sinto sono. Todos estão dormindo e o silêncio reina.
Estou quase chegando ao meu quarto quando escuto Max xingando. Reflito um pouco e vou até seu quarto. Entro sem bater. Ele está sentado na cama, limpando sua arma. A caixa de munição está aberta, e eu noto que está quase vazia.
– Algum dia você vai colocar em prática a possível educação que te deram, princesa guerreira? Aliás, o que te ensinaram quando você era criança, além de encher os outros de porrada? Acho que você entra sem bater para um dia me ver pelado. Não precisa disso, princesa. Se quiser, é só pedir – me sento na cadeira em frente à cama e olho séria para ele. Ele percebe que não estou pra brincadeira e seu sorriso some – o que foi desta vez?
Ele deixa a arma de lado e examina meu corpo com calma, provavelmente procurando algum ferimento. Deve achar que eu briguei com alguém. Desde que tivemos que nos juntar com os aligortes, isso acontece com certa frequência.
– Se meu irmão não aparecer em dois dias, eu e Darion iremos atrás dele. Você fica pra proteger o alojamento.
Ele joga a cabeça para trás e começa a dar risada. Uma risada de verdade, ele realmente está achando graça. Filho da puta!
Espero em silêncio que seu ataque de riso acabe, apesar de minha vontade ser de socar sua cara.
– Você está falando sério? – ele me pergunta ainda rindo.
Apenas levanto a sobrancelha. Muito ousado esse Max. Eu sou a líder quando meu irmão não está e ele ousa rir de uma ordem minha. Aliás, eu nem sei por que perco meu tempo. Esse filho da puta não obedece ninguém. Desde que mudou de lado, há um ano, vive conosco sem respeitar qualquer hierarquia. O desgraçado faz o que tem vontade e ponto. Só está aqui porque meu irmão confia nele.
Decido que não vale a pena discutir com Max e me levanto pra ir embora, mas ele se adianta e me segura pelo braço.
– Você não vai a lugar nenhum! – ele vocifera.
Agora sou eu quem dá risada. Ele continua me segurando e me olhando com raiva.
– Me solta – peço com falsa gentileza.
– Prometa que você não vai – ele ordena.
Puta que pariu! É muita audácia. Eu vou matar esse filho da puta!
Uma raiva começa a tomar conta de mim e eu me solto de seu braço, empurrando-o com força. Obviamente, ele nem cambaleia. O desgraçado é forte! Antes que eu termine de decidir socar sua cara, ele já segura meu punho e o torce nas minhas costas. Ele usa a outra mão para prender meu outro braço. Não sinto dor, mas não consigo me mexer. Tento atacar suas pernas com os pés, mas ele já as tirou de meu alcance.
– Conheço seus movimentos, princesa guerreira. Você é boa, mas eu sou melhor – dou risada. Ele sabe que luto melhor que ele. Daqui a pouquinho ele vacila, e eu acerto esse rosto com traços perfeitos – se você soubesse o quanto eu adoro te ver irritadinha desse jeito, não me daria esse prazer – ele sussurra com a boca perto do meu ouvido.
É agora. Seu foco se perdeu e, por um instante, ele esqueceu nossa pequena batalha. Com toda minha força, me lanço para trás e faço com que ele bata no pedaço de tronco que lhe serve de cômoda. Por sorte, ele bate as costas na quina e me solta, gemendo. Não perco tempo e empurro seu corpo com a minha perna. Ele bate na parede e lá fica. Fico esperando que uma rachadura apareça no barro pelo impacto do corpo de Max, mas as paredes foram bem feitas e nada acontece. Ou eu não o empurrei com toda a força que ele merecia.
– Caralho, Celine!
Ele se agacha e passa as mãos nas costas. Lembro-me que seu ferimento ainda não está totalmente cicatrizado. Corro e me agacho ao seu lado, levantando sua blusa e olhando o estrago que fiz. Os pontos abriram e o ferimento sangra.
Max não emite nenhum som, mas sei o quanto está doendo. Já tive pontos abertos e isso dói à beça.
– Desculpa – eu digo enquanto o ajudo a encostar-se à parede.
Tento me levantar para chamar Mario para limpar o ferimento e refazer os pontos, mas Max me puxa pelo pulso.
– Prometa que você não vai – dessa vez ele pede.
Sinto pena dele, sei da necessidade que ele tem de me proteger. Talvez por sentir que deve isso ao meu irmão, que salvou a sua vida. Ou por que ele gosta de mim mais do que deveria. Abaixo a cabeça e reflito por alguns segundos.
– Não posso – sussurro.
Estou sendo sincera, sei que não conseguiria manter essa promessa. Não sei nem se vou aguentar esperar dois dias.
Max levanta meu rosto pelo queixo e eu vejo desespero em seus olhos. Ele tem muito medo de que algo aconteça comigo. Sei disso. Posso ver em seu rosto, posso sentir em seu olhar.
Odeio vê-lo desse jeito. Ele é tão metido a fodão, nunca demonstra se importar com nada. Está sempre acima de tudo. Mas agora, neste momento, ele deixa transparecer o quanto se importa. Talvez de propósito, para me convencer. Talvez sem querer, por não conseguir se controlar.
Ele sempre se controla. Acho que eu sou o único motivo de seu descontrole. Ele sabe que estou sendo sincera, que realmente não posso apenas esperar a notícia da morte do meu irmão.
– Eu vou com você – ele diz com convicção, apesar de seus olhos demonstrarem súplica.
– Está bem – não discuto.
A verdade é que quero que ele vá comigo. Sinto-me segura com ele por perto. Ele me faz dar risada até nos piores momentos. E apesar de saber que o alojamento ficaria menos protegido sem ele, não vou lhe negar isso. Não com ele me olhando desse jeito, implorando em silêncio.
– Prometa.
– Prometo.
Ele me estuda por um momento antes de se convencer e solta meu pulso. Corro até a enfermaria e peço a Mario que me acompanhe até o quarto de Max, com equipamento para a limpeza do ferimento e a feitura de novos pontos.
Quando chegamos, Max já está sentado na cama e limpa seu ferimento sozinho, com pinga. Se ele soubesse o trabalho que dá para prepará-la, não a
desperdiçaria dessa maneira. Mas ele não está nem aí, sua pose de machão sabe-tudo está de volta.
– O que foi, princesa? Achou que podia me derrubar? – seu tom é de pura ironia e seu olhar, divertido.
– Você é um babaca!
Saio rindo e vou em direção ao quarto de Darion para ver se ele voltou de sua ronda, ainda ouvindo Max xingar Mario e dizer que não precisa de ajuda com um cortinho. Metido a fodão. Um filho da puta esse Max!
Bato de leve na porta de Darion e entro devagar. Ele já está dormindo, provavelmente percorreu só o menor perímetro. Sua expressão é séria. Me aproximo devagar e beijo seu rosto.
De volta ao meu quarto, me sinto sonolenta. Deito na cama sem me cobrir, apesar do frio. Vejo a imagem do rosto de meu irmão sorrindo antes de cair no sono.
 Onde Comprar o E-book:
Na Amazon por,  R$ 8,42

Na Saraiva por, R$ 6,99

No Clube dos Autores por, R$ 10,76


Redes sociais/livro 

Instagram

Fanpage 

Skoob

Wattpad

Site


Redes sociais da autora: 

Intagram

Facebook

Skoob

Skoob como autora

Wattpad



É isso pessoal! Logo mais teremos resenha de 2323- Sobreviventes do Caos por aqui.
Espero que tenham gostado.
Um beijo e até mais!


You May Also Like

25 comentários

  1. Oieee!!!
    Muito obrigada pelo post, adorei!!
    Ansiosa pela resenha..
    Um beijo,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Bianca!
      Que bom que gostou <3
      Beijos!

      Excluir
  2. Parabéns pela parceria!
    Que ela seja um sucesso para ambas ♥
    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rayanni, tudo bem? Autora por livro aqui!
      Obrigada pelo comentário. Muito sucesso pra vc tbém!
      Um beijo

      Excluir
  3. Olá!

    Parabéns pela parceria é muito bom quando um autor acredita no nosso trabalho e nos da a oportunidade de ler e apresentar sua obra. O livro parece ser bem interessante, vou aguarda a sua resenha. Muito sucesso com essa parceria.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Karoline, autora do livro aqui, tudo bem?
      Ah, imagina. É muita gentileza dos blogueiros nos ajudar na divulgação. Eles têm papel essencial no sucesso da obra.
      Tbém estou ansiosa pela resenha!!
      Um beijo

      Excluir
  4. Olá
    Parceria é tudo de bom, ainda mais quando o livro parece ser muito bom.
    Espero que a parceria seja ótima para ambas as partes
    Parabéns para as duas e sucesso.
    Beijuh

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Renata, autora do livro por aqui..
      Muito obrigada, sucesso pra vc tbém!
      Beijo grande!

      Excluir
  5. Oi.

    Meus parabéns pela parceria, fico feliz pela conquista do blog. Não conhecia essa autora e nem seus livros. Essa menina na capa de Sobreviventes do Caos me lembou muito a katniss, rsrs.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Livros & Café, tudo bem? Autora do livro por aqui...
      Te garanto que a história é bem diferente de Jogos Vorazes, apesar da protagonista lembrar a Katniss por tbém ser arqueira.
      Leia que você não vai se arrepender!
      Um beijo

      Excluir
  6. Oii
    Parabéns pela parceria, que seja frutífera para ambos!
    Ainda não conhecia esse livro, e esse primeiro capítulo me deixou bem instigada.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Bárbara, autora do livro por aqui..
      Que bom que você se interessou, fico feliz! Espero que leia em breve..
      Um beijo

      Excluir
  7. Oi, Carine ^^
    Eu já tinha visto uma postagem sobre essa autora e o capítulo. Fiquei morrendo de vontade de ler essa obra por ser distópico e ter protagonista feminina girl power!!!
    Amo demais personagens fortes e poder ver que a Celine é alguém que se habilita a resgatar as pessoas que ama me deixa animado para ler Sobreviventes do Caos o quanto antes!
    Senti muito referência a Jogos Vorazes e The 100, espero não estar enganado.
    Parabéns pela parceria formada, Carine. Que seja um sucesso esse vínculo criado. ^^
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiie Bruno, tudo bom? Autora do livro aqui!
      Ah, que delicia saber que você está empolgado com a leitura! A Celine é uma protagonistas daquelas...forte é apelido! hahahahahaha
      A história segue maios ou menos na mesma pegada de Jogos Vorazes e The 100, apesar de ser bem diferente. A maior diferença é que tem um romance mais desenvolvido, com uma pitadinha hot. Ação não falta, é de tirar o fôlego!
      Espero que possa ler em breve!
      Um beijo grande!

      Excluir
  8. Oi amore,
    Adoro novas parcerias, dão um UP e uma vontade de renovar o blog né!
    Não conhecia a autora, mais já curti, ainda mais quando mencionou que ela curtia ler fantasias, imagino que isso faça com que ela traga nem que seja um cadinho de fantasia em seus livros. Adorei as capas.
    Adorei a maneira que você escreve... ri muito rsrsr
    Beijokas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Grazi, tudo bem? Autora do blog aqui!!!
      Ah, que bom que vc curtiu, fico feliz.
      Eu não levo muito pro lado da fantasia em Sobreviventes, apesar de ter umas crenças indígenas um pouco sobrenatural..
      Leia que vc vai gostar.
      Um beijo

      Excluir
  9. Olá... parabéns pela parceria... desejo muito sucesso... para ambas as partes... a premissa é bem interessante... eu gostei do que pode levar a história... Xero!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Diana, autora do livro por aqui..
      Que bom que gostou, fico feliz!
      Sucesso pra vc tbém!
      Um beijo

      Excluir
    2. Oii Diana, autora do livro por aqui..
      Que bom que gostou, fico feliz!
      Sucesso pra vc tbém!
      Um beijo

      Excluir
  10. Olá!

    Já tinha ouvido falar na autora, mas não conhecia o livro. Apesar de não ser meu gênero favorito, vou ficar no aguardo de sua resenha. Sucesso na parceria e para ambas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Kamila, tudo bom? Autora do livro aqui!
      Espero que a resenha faça você se interessar pela leitura, vamos aguardar!
      Sucesso pra vc tbém!
      Um beijo

      Excluir
  11. Aeeee, parceria é sempre bom ne :)

    Parabens por essa conquista

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Thais, autora do livro por aqui..
      Obrigada!!!
      Um beijo

      Excluir
  12. Olá!!
    Parabéns pela parceria!! A bianca é super simpática, ganhei o livro num sorteio de natal (ou ano novo) e ela entrou em contato comigo... foi super legal. Estou louca pra ler, mas meu semestre ainda não acabou - estranhamente... Me identifico muito com Celine e quero ver as decisões dela..
    bjss

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem?
    Adoro ver os blogs dando oportunidade para novos autores nacionais, principalmente os independentes, desejo para ambos muito sucesso e quero ver a resenha aqui.
    Beijocas!

    ResponderExcluir

Não deixe de comentar, sua opinião é muito importante pra nós!
Obrigada, e volte sempre!